/ Notícias / Professor de Filosofia do Campus lança livro sobre contribuições históricas na formação docente

Professor de Filosofia do Campus lança livro sobre contribuições históricas na formação docente

Publicado em

O livro “Pedagogia do Inédito Viável: O pensamento utópico freiriano e a formação de professores”, lançado em 2020, pelo professor de filosofia do Campus Irati, Juliano Peroza, é resultado de sua tese de doutorado em Filosofia da Educação defendida no ano de 2014 pela PUC-PR. O livro explora o conceito de utopia/esperança/sonho possível em Paulo Freire e suas implicações práticas na busca daquilo que o autor denomina de inédito viável, a busca das possibilidades históricas ainda não experimentadas, e como isso pode contribuir para a formação dos professores.

O autor busca, desta forma, apresentar uma investigação para compreender o movimento que conduz o autor a assumir estas categorias em seu pensamento como síntese e expressão de sua proposta político-pedagógica libertadora e suas consequências para o desenvolvimento formativo da autonomia do professor/educador em sua práxis pedagógica.

Objetiva-se explorar, assim, a investigação sobre  como o pensamento utópico pode contribuir qualitativamente para que o professor/educador assuma a continuação do seu “inacabamento” pessoal e profissional como tarefa permanente, expressão autêntica da constituição do seu “ser mais”, e também dos seus educandos. Ressalta que a importância do pensamento utópico freiriano não está em servir-se de respostas prontas e acabadas sobre a melhor maneira de realizar determinada prática, mas sim em uma profunda e insistente reflexão que visa provocar novas práticas.

Destaca-se a abordagem a respeito de trabalhos de Paulo Freire, onde os professores ocupam um lugar estratégico na construção de uma nova escola, fecunda e inovadora. Para tanto, ela deve ser capaz de propiciar o desenvolvimento da autonomia, da criatividade, da curiosidade, da liberdade dos educandos a fim de estabelecer relações de solidariedade, reciprocidade e da coletividade. A educação da vontade, a necessidade de coerência nas atitudes, a superação da visão autoritarista pela conquista do respeito e da autoridade para o exercício da “liberdade que se auto-limita”, são condições para o fortalecimento na tomada de decisões éticas na profissão docente. Isso ajuda a forjar a capacidade de resistir para se opor ao relativismo que aumenta a insensibilidade diante do sofrimento humano, de toda e qualquer forma de injustiça, e também para promover a busca do bem comum.

Neste obra, portanto, destaca-se o aprofundamento de uma temática relevante para  a educação brasileira. Esta contribuição também objetiva encontrar ressonância para os estudos sobre o pensamento utópico e a formação de professores, relação ainda pouco estabelecida na contemporaneidade. Ela poderá ser de extrema importância para o desenvolvimento da autonomia pessoal e profissional da classe docente, assim como para revigorar o sentido estético, ético, político e epistemológico da sua profissão.

O livro completo encontra-se disponível a seguir:

PEDAGOGIA DO INÉDITO VIÁVEL

Leia mais

Topo